domingo, 31 de agosto de 2008

Pão italiano com sardella para o chá da tarde.


Pensei muito sobre o que fazer para este desafio, minhas idéias não estavam saindo do papel. Até que nesta semana fiz um tanto de sardella, os pimentões estavam na geladeira há mais de 1 semana e eu tinha que dar jeito neles. Além disso prometi à minha vizinha que iria fazer e dar um pouco para ela. Foi aí que pensei por que não deixar a receita de sardella para o desafio? A receita é do Álvaro Rodrigues e desde que aprendi a fazer ela virou receita de família, em toda evento que vou faço a sardella. E tem coisa mais gostosa que uma fatia de pão italiano fresquinho com sardella?

Sardella

Ingredientes:
1/2 xícara (chá) de azeite
500g de pimentões vermelhos cortados em rodelas
150g de cebola, picada
2 dentes de alho, picados
50 de aliche (com o óleo)
1 lata de sardinhas (com o óleo)
1 colher (sobremesa rasa) de pimenta calabresa seca
1 colher (sopa) de orégano
1 colher (chá) de erva doce
Sal se necessário

Preparo: Frite o alho rapidamente, acrescente a cebola e o pimentão e refogue por 15 minutos. Espere este refogado amornar e bata no liquidificador com o aliche e a sardinha com o óleo. Coloque esta mistura na panela, acrescente o orégano, a pimenta e a erva doce. Refogar em fogo baixo até que a mistura fique como ricota amassada. Acerte o sal. Colocar em um recipiente, regar com um fio de azeite e tampar. Dura até 1 mês em geladeira e 120 dias no freezer.

quinta-feira, 28 de agosto de 2008

Geléia de Anis Estrelado e Maçã ... um novo desafio, um novo sabor.


Minha primeira geléia!!!! Sempre tive vontade (e muito receio também) de fazer uma boa geléia. Na verdade essa não é a primeira da vida, mas conta como tal, porque é a que deu certo. A primeira que fiz foi há anos atrás, com muito receio e pouca ciência e podem imaginar no que deu... falha técnica. Peguei as amoras na casa da minha avó, uma receita de geléia de morangos que tinha no caderno, troquei as frutas e a geléia açucarou tanto que virou um caramelo duro, se jogasse em alguém aquela pedra, certeza que matava. E mais uma vez desisti da geléia. Quando vi o desafio da Fer Ayer, pensei: "não vou participar, não vai dar certo". Ah, coragem menina, desde quando você tem medo de comida? E lá fui eu buscar uma receita diferente. Antes do desafio queria fazer geléia de canela, que vi no blog da Talula e da Marizé, mas decidi mudar um pouco as coisas. Fiz uma versão que nunca havia visto e olha que vi muitas coisas diferentes por aí. Segue aqui a minha loucura, que desta vez deu certo.


Geléia de Anis Estrelado e Maçã




Ingredientes:
(infusão)
30g de anis estrelado
1 Litro de água
(geléia)
2 maçãs inteiras (casca, sementes, talos)
Água o suficiente para cobrir as maçãs
Suco de meio limão Taiti
açúcar cristal (metade da medida restante de líquido - proporção de duas medidas de líquido para 1 medida de açúcar)

Preparo: Ferver a água com o anis estrelado por 15 minutos, em panelinha tampada. Deixar descansar por 1 hora, em recipiente tampado. Cotar as maçãs em pedaços, colocar em uma panela com água até cobrir as maçãs. Deixe cozinhar até que as maçãs amoleçam e comecem a se desfazer. Passar estas maçãs por um peneira apertando com colher. Juntar esse líquido com a infusão de anis, medir a quantidade e acrescentar o açúcar e o suco de limão. Peneirar a maçã cozida e juntar o purê que restou à mistura da panela. Levar ao fogo brando até que a mistura reduza e fique com ponto de geléia (cuidado durante a fervura, coloque em panela alta para não extravazar). Coloque em vidro esterelizado ainda quente (veja métodos para esterelizar vidros no link abaixo), deixando 2 dedos da borda do vidro.

Fontes de pesquisa:
http://diadefolga.com/ferver-as-conservas-serve-pra-que/
http://diadefolga.com/esterilizando-vidros-para-conservas/

quarta-feira, 27 de agosto de 2008

Yakisoba do Bee Gees

Se é bom eu não sei, mas é muito engraçado... jeitinho novo de fazer Yakisoba

video

quinta-feira, 21 de agosto de 2008

Polenta em Camadas


Esta é a minha participação para o desafio do Quattro Ragazze Brasiliane Nella Cucina Italiana, uma polenta bem comum, mas muito gostosa, ideal para dias frios, apesar que polenta prá mim não tem dia. A minha avó fazia polenta com molho de carne, eu fiz algumas mudanças, intercalei o molho com camadas de polenta e fatias de mussarela. Fica ótima acompanhada por rúcula bem fresquinha (dica da Mere).

Polenta em Camadas

Ingredientes:
(polenta)
2 xícaras (chá) de flocos de milho pré-cozidos
3 xícaras (chá) de água fria
2 xícaras (chá) de leite frio
1 dente de alho picado
1 colher (sopa) de azeite
1pitada de pimenta do reino
Sal a gosto
1 colher (sopa) de orégano
(molho de carne)
250g de patinho moído
1/2 cebola grande, picada
1 dente de alho, picado
1 Kg de tomates (tipo italiano), sem sementes, batidos no liquidificador
1/2 pimentão vermelho, picado
1 cenoura, ralada no ralo grosso
1/2 taça de vinho tinto seco (cerca de 80 ml)
Temperos a gosto (usei manjericão, tomilho, cheiro verde, sal, pimenta, e orégano).
(outros ingredientes)
300g de mussarela fatiada
50g de parmesão ralado no ralo grosso

Preparo: (molho de carne) - Comece com os tomates: para retirar as sementes, abra o tomate ao meio e esprema as metades. Nunca lave o tomate para retirar a semente, o sabor vai embora junto com a água. Pique os tomates e coloque no liquidificador. Reserve.
Feito isso, coloque o azeite numa panela, de preferência com anti-aderente. Panela de alumínio e o tomates não combinam. Coloque a carne e refogue até que esteja soltinha e cozida. Junte a cebola, o alho, o pimentão, a cenoura, o vinho e mexa por 3 minutos. Adicione os temperos e os tomates batidos. Mexa bem, tampe a panela e leva ao fogo baixo para que o molho reduza e perca a acidez. Esse processo pode levar cerca de 1 hora em fogo baixo. Vá mexendo e verificando o molho para que não queime. Verifique sal e pimenta. Estará pronto quando estiver com aspecto encorpado e não sentir acidez. Se necessário, junte um pouco de água para que cozinhe sem queimar. Reserve

(polenta) - Frite o alho no azeite e acrescente o leite e a água. Junte a farinha de milho e os demais ingredientes e mexa em fogo médio até engrossar. Assim que engrossar cozinhe por mais 5 minutos. Utilize.
(montagem) - Em um refratário untado com azeite coloque camadas da seguinte forma: polenta, molho e mussarela e vá intercalando até terminar a polenta. Finalize com molho e parmesão ralado. Leve ao forno 180ºC, pré-aquecido, por 15 minutos ou até gratinar o queijo. Consumir imediatamente.

quinta-feira, 14 de agosto de 2008

Salada de beterrabas assadas, almoção!!!



Essa salada apareceu aqui em casa hoje por acaso. Estou passando todo dia para conferir o site da Ana Elisa. Ela está fazendo muita coisa legal esses dias (aliás, tem muita coisa boa lá, ai, ai...), principalmente saladas e estou me inspirando a sair do básico alface com tomate. Aí que passei na volta da escola, depois de deixar minha filha, às 07:00h na hortinha que tem aqui perto de casa. As verduras haviam sido colhidas aquela hora, tudo lindo e fresco. Peguei logo alface (prá variar) e espinafre e não é que olhei para o lado e havia um lindo ramo de beterrabas, daquelas novinhas e cheias de sabor, só que estava separado do restante. Perguntei: esta beterraba está à venda? E a senhora que me vendia as coisas disse: é, tá... Não senti firmeza, mas ela me vendeu as beterrabas, lindas, com todas as folhas inteiras, bem diferente do que encontramos na feira. Olhando e pensando no que fazer com as beterrabas (afinal já fiz beterraba esta semana) me lembrei de uma salada que eu vi no programa Cardápio de Aventuras e lembrei do que pensei na hora: "que maravilha deve ficar isso!!!"
Acabei fazendo a salada mais ou menos igual, e que não tinha todos os ingredientes, mas substitui uma coisa aqui e ali e ficou ótima. Sei que parte disso foi da própria origem da beterraba, como é bom comprar coisas frescas, tem outro sabor. A receita original é essa aqui. A minha versão segue abaixo:

Salada de Beterrabas Assadas com Alface e Iogurte Dessorado

Ingredientes:
9 beterrabas pequenas, com casca e parte do caule
80 ml de aceto balsâmico
4 ramos de tomilho (usei o da minha horta)
3 grãos de pimenta triturados
2 a 3 colheres (sopa) de azeite
Sal marinho à gosto
Folhas de alface
1 pote de iogurte desnatado dessorado (colocar o iogurte em um coador de papel, dento do suporte para café, sobre uma tigela e deixar na geladeira por 3 horas)
Gotas de limão

Preparo: Pré-aqueça o forno a 180º. Coloque as beterrabas limpas, com a casca e parte pequena do caule (não retire, pois a beterraba perde o sabor) em uma forma. Regue com a metade do aceto, 2 colheres de azeite, tempere com sal e pimenta e com os ramos de tomilho. Leve ao forno coberto com papel alumínio por cerca de 1 hora. Retire o papel após este tempo e deixe as beterrabas assarem. Retire do forno, coloque em um recipiente junto com o caldo que se formou e leve para esfriar. Retire as partes que ficarram torradas, corte as beterrabas em 4 partes (eu retirei a casca porque o pessoal de casa não ia comer com casca - leia-se pessoal de casa marido), tempere com gotas de limão e o restante do aceto balsâmico. Tempere a alface com sal, limão e um fio de azeite. Arrume as folhas no prato, coloque as beterrabas por cima, regue com o caldo que se formou no cozimento, mais umas gotas de limão e azeite. Coloque 2 colheres de sopa do iogurte sobre as beterrabas e sirva a seguir.


quarta-feira, 13 de agosto de 2008

Sagu e suas mil e uma utilidades.


Prá quem não chegava nem perto de sagu até que estou me superando. Toda hora ando inventando receita com ele. Rende muito e fica bem diferente do tradicional sagu com vinho. Esta também é invenção da "cientista maluca".

Fantasia Cor de Rosa (nome meio fresco, mas combina)

Ingredientes:
1 xícara (chá) de sagu
3 litros de água
1 lata de leite condensado
1 caixinha (200ml) de creme de leite uht
1/3 de xícara (chá) de coco ralado
100 ml de xarope de groselha

Preparo: Separe 1 litro de água e coloque o sagu de molho por 20 minutos. Escorra essa água e reserve. Coloque o restante da água em uma panela e leve ao fogo até ferver. Abaixe o fogo, coloque o sagu na panela e espere cozinhar até as bolinhas ficarem transparentes. Se necessário, acrescente mais água quente conforme a água for secando. Quando o sagu estiver cozido, acrescente a groselha e deixe no fogo por mais 5 minutos. Coloque o sagu em um recipiente, junte o restante dos ingredientes, misture bem e leve para gelar.

segunda-feira, 11 de agosto de 2008

Ambrosia, delícia de Minas!


Esta receita é muito boa, consegui neste site. É de uma senhora que é conhecida como D. Joaninha, que ganhou a vida fazendo doces. Faz isso há 40 anos e tem uma loja em Araxá, Minas Gerais. Este doce em especial me chamou a atenção por ser muito parecido com o doce que a minha sogra faz, mas é mais fácil. Fica delicioso, acabou no dia que fiz, pois dei um pouco para a minha vizinha, mas fiz pouco mais que meia receita. Conselho: façam a receita inteira, acaba rápido.

Ambrosia

Ingredientes:

05 L de leite pasteurizado
01 kg de açúcar refinado
09 ovos bem fresquinhos
Pedaços de canela a gosto
3 cravos-da-Índia

Preparo: Colocar o leite com o açúcar, a canela e os cravinhos no tacho e mexer para dissolver o açúcar, levando ao fogo por meia hora sempre mexendo para não grudar.
Bater as claras em neve e quando estiverem firmes, juntar as gemas e bater até ficar homogeneo(+ou- 05 minutos) obs: ( passar as gemas na peneira , para retirar a película das mesmas ).
Virar os ovos batidos por cima do leite, dando a imprensão de um grande omelete, e quando começar a subir, abaixar o fogo e deixar por 20 minutos. Cortar em pedaços grandes (04 a 06 partes) e deixar ferver por mais 10 minutos. Vire os pedaços com uma escumadeira e deixe por mais 20 minutos e em seguida cortar os pedaços grandes em pedaços pequenos, sempre em fogo baixo.
Estes pedaços pequenos irão ficar cozinhando em fogo mínimo aproximadamente por mais uma hora e meia, mexendo de vez em quando delicadamente para não desmanchar os pedaços e também raspando o fundo e as bordas do tacho para não grudar.
Depois de pronto , colocar em compoteiras e servir gelado. Caso queira manter por seis meses , colocar em vidros com tampa , cuidadosamente esterilizados e após envasar, fechar bem e levar ao banho maria por 40 minutos após fervura.

terça-feira, 5 de agosto de 2008

Desafio Intercâmbio Culinário Parte 2 - Caladinhos

Agora sim, publico na data certa a minha receita! Assim que soube deste intercâmbio fiquei doidinha para participar, apesar do receio de fazer uma receita que não conhecia. Pensei, "ai, e se forem receitas com ingredientes que eu não gosto?" Mesmo assim, corri para a minha amiga Nana e pedi para que ela me avisasse se soubesse de alguém que pudesse fazer dupla comigo. Ela prontamente me indicou a Bela e eu fui lá, visitá-la e propor o "negócio". A Bela, um doce de pessoa, aceitou na mesma hora e eu fiquei muito contente. Trocamos e-mail com as receitas e mais que isso, "batemos papo" via internet como comadres que se conhecem há tempos. Este intercâmbio é mais que simplesmente troca de receitas, é troca de cultura, conhecimento e principalmente formador de amigos. Só isto já me deixou feliz em participar. Das receitas que a Bela me enviou escolhi uma de biscoitos (digo que não sou uma pessoa que faça muitos, devo ter feito duas vezes em toda minha vida de cozinheira), mas desafio é desafio e lá fui eu fazer os Caladinhos. Escolhi esta receita pois me pareceu muito fácil e era um biscoito com limão, aí me pegou, adoro limão. Além disso, há o fato da história da receita que é bem interessante. Segue na íntegra, conforme me foi passada pela Bela.

Caladinhos


Os Caladinhos são uma espécie de biscoitos, de consistência mole, com uma forma arredondada e achatada. São feitos de farinha, açúcar, ovos e são divinais para lanche ou chá.


A história dos Caladinhos é bastante engraçada, conta-se que:
Em 1934 vivia-se em clima de ditadura em Portugal, um dia à noite em Santa Maria da Feira (meu Concelho), Augusto Padeiro e seus empregados estavam a fazer biscoito sortido, com a forma arredondada e achatada, quando foram visitados pela polícia do regime (a PIDE). Augusto Padeiro, com medo, disse aos seus empregados: "Shiu! Calados!"
Um dos elementos da polícia perguntou "Porque disse Calados???" O Augusto Padeiro respondeu:
"Porque estamos a fazer calados. Estes biscoitos são os caladinhos!" E assim ficou.


A receita é a seguinte:

Caladinhos

Ingredientes:
4 ovos inteiros
250g de manteiga derretida
250g de açúcar
700g de farinha de trigo
Raspas e sumo de 1 limão

Preparo: Misturar tudo e depois fazer bolinhas com as mãos ou com a ajuda de duas colheres. Levar ao forno (pré-aqueci por 15 minutos, 180ºC), num tabuleiro forrado com papel-manteiga durante 10 a 15 minutos.

Eu não sabia se tinha que esperar dourar ou não tirei branquinhos e levemente dourado por baixo. Enviei as fotos para a Bela e ela confirmou que eram daquele jeito mesmo.

Rendimento: em torno de 40 unidades (meia receita)

Minhas modificações:
Fiz apenas meia receita, só o limão que usei que usei inteiro, e ainda achei que mais 1 iria bem. Acrescentei ainda 1/4 de casca de limão no sal picada em pequenos cubos. O sabor acentuado do limão siciliano fez diferença, ficou com sabor muito bom. Além disso, como dá para ver nas fotos, mudei o formato dos biscoitos. A massa permite isso, apesar de ser molinha dá para modelar os biscoitos tranquilamente.

Resultados obtidos:
Assim que saíram do forno peguei alguns e adorei. Minha filha e marido também gostaram. O que aconteceu? No dia seguinte perto da hora do almoço já não havia mais biscoitos na lata. O detalhe importante: fiz os caladinhos às sete da noite do dia anterior, isso é bom sinal, não?

segunda-feira, 4 de agosto de 2008

Escondidinho de Mandioca, macaxeira, aipim...tanto faz, é muito bom!


Este escondidinho eu inventei naquelas minhas loucuras de junta aqui e ali, com aquilo que tinha à mão em casa. Prá fugir da mandioca frita de sempre, que eu adoro, mas mandioca merece lugar de destaque na refeição e desse jeito ficou deliciosa. Nem precisa de acompanhamento, talvez só salada de alface. Esta é a minha participação para a quinzena desta super rainha, versátil e deliciosa.

Escondidinho de Mandioca com Carne Moída


Ingredientes:
1 kg de mandioca cozida e espremida
200 ml de creme de leite fresco
Sal e pimenta a gosto
(recheio)
1/2 Kg de carne moída
2 colheres (sopa) azeite
1 cebola pequena, picada
1 dente de alho,picado
1/2 pimentão verde, picado
Sal e pimenta a gosto
Cheiro verde picado a gosto
1 pitada de canela moída
1 colher (sopa) de shoyu
10 azeitonas verdes, picadas
(para polvilhar)
50g de parmesão ralado

Preparo: (recheio) - refogue a carne no azeite até que fique levemente dourada, junte a cebola, o alho e o pimentão e refogue mais um pouco até que fiquem cozidos. Tempere com shoyu, sal, pimenta, canela. Junte as azeitonas, refogue mais 2 minutos. Desligue o fogo, junte o cheiro verde e reserve.
(montagem) - Misture a mandioca amassada com o creme de leite, tempere com sal e pimenta. Em um refratário, faça uma camada com a metade da mistura de mandioca, recheie com a carne refogada, cubra com o restante da mandioca e polvilhe o parmesão ralado. Leve ou forno pré-aquecido (180ºC) para gratinar.

sexta-feira, 1 de agosto de 2008

Semana da Amamantação - Este é o primeiro e melhor alimento para o seu bebê.


Fique sabendo da blogagem coletiva sobre a semana da amamentação através do blog da Leila, do Delishville, e fui até o link que ela deixou no post dela, do blog da Denise, do Síndrome de Estocolmo. A iniciativa é muito importante e deve ser valorizada e reproduzida. E eu como enfermeira e mãe que amamentou, não poderia deixar de participar. A amamentação é um ato de amor, que mantém aquela vidinha, tão frágil de início, fortalecida e saudável. Não digo que seja fácil, eu era orientada e ajudei muita mãe a amamentar seus filhos na época em que fazia estágio na faculdade e ainda assim quando minha filha nasceu não pegou o peito tão facilmente quanto achei que seria e ficou internada por 4 dias, em decorrência de uma hipoglicemia. Me senti culpada, como eu que ajudei as mães a estreitarem esse vínculo com seus filhos não consegui fazer isso com a minha? A resposta é simples, quando a situação acontece conosco, a coisa muda. E como muda. Eu tinha treinamento de enfermeira, mas não de mãe. A amamentação envolve adaptação, o conhecimento entre mãe e filho, é exercício de paciência, não é fácil acordar bêbada de sono às 3 da manhã, não é fácil das primeiras vezes que o bebê pega o peito, doi. Mas quem disse que ser mãe é fácil? É só o início da aprendizagem , que vai durar uma vida toda. Mas devo dizer, esse período de adaptação é bem curto, depois de coisa de no máximo 1 mês, o corpo responde, o leite vaza do peito e quando você vai ver, seu filho está acordado, esperando por você, pronto para receber mais que leite, carinho, aconchego. É tudo tão perfeito...
Além disso, o leite que você produz é específico para seu bebê, insubstituível. Ele nutre, protege contra doenças (vacina natural), mata a sede (não precisa de chá, água, nada), é um alimento perfeitamente equilibrado, a amamentação facilita o processo de fala do bebê, já vem na temperatura certa, não estraga, não precisa de refrigeração nem de aquecimento, está com você em todo lugar, não precisa de cuidados para ser transportado, o que diminui consideravelmente o número de sacolas a carregar para passear com o bebê. E se você exagerar no amor, produzindo mais leite que seu bebê consome, doe amor para outros, doe seu leite. Procure informações sobre bancos de leite em sua cidade. Existem outros bebês que precisam desse leite, quem sabe você não pode ajudar outra vidinha a se desenvolver? Para quem estiver lendo, peço que repassem a informação. Já que falamos de comida todos os dias, não custa nada dar uma forcinha para aqueles que estão começando neste mundo gastronômico e essa é a melhor forma de começar: natural, cheia de amor.

E é assim que eles ficam: fortes, saudáveis, felizes.

O Bolo da Fer Ayer

Fiquei tão empolgada com a semana do reaproveitamento integral dos alimentos, promovida pela Fer Ayer, com tantas receitas legais que eu queria fazer todas, mas como diz a Fer, o povo aqui de casa vai ter que ir pro spa quando a semana acabar.No entanto o bolo de cascas de banana eu tive que fazer. Mas como sempre, lá vou eu mudar as coisas. O meu além das cascas de banana também entram de batata. E não é que deu certo? E ficou muito gostoso, perfeito para convidar as amigas e tomar chá.

Bolo de Cascas de Banana e Batatas (versão original do blog Sabor - aqui)

Ingredientes:

1/2 xícara (chá) de óleo
1 xícara (chá) de leite
3 gemas
1 colher (sopa) de canela em pó
Cascas de 3 bananas picadas
Cascas de 4 batatas médias picadas, aferventadas por 5 minutos
1 xícara (chá) de açúcar
1 xícara (chá) de açúcar mascavo
1 xícara (chá) de farinha de trigo
1 xícara (chá) de farinha de trigo integral
1 colher (sopa) de fermento em pó
3 claras em neve
Óleo para untar a forma
Farinha de rosca para polvilhar

Preparo: Pré-aqueça o forno a 180º C. Unte uma forma de anel de 28 cm de diâmetro e polvilhe com farinha de rosca. Bata no liquidificador as cascas (banana e batata), o óleo, o leite, a canela e as gemas. Peneire as farinhas, o açúcar mascavo, o açúcar e o fermento. Despeje a mistura do liquidificador sobre os ingredientes secos e misture delicadamente. Junte as claras em neve, com delicadeza, misturando até incorporar completamente. Leve ao forno até dourar (faça o teste do palito, se sair limpo, está pronto).

Related Posts with Thumbnails