sexta-feira, 4 de julho de 2008

Que felicidade que é fazer macarrão que dá certo!!!

Engraçado alguém ficar feliz com algo tão simples quanto macarrão. Prá entender o porque disso, vou ter que contar uma historinha. Há muitos anos atrás, quando eu estava casadinha de nova (era assim que o povo dizia antigamente?) eu vi uma pessoa fazendo macarrão na tv. Nesta época os produtos italianos estavam ganhando espaço no Brasil, não era tão comum quanto é hoje encontrar massa de grano duro, quanto mais farinha italiana. As nossas farinhas não eram das melhores, acho, ou eu não sabia comprar farinha, apesar de já cozinhar ainda tinha uma relação não tão próxima da cozinha. Fazia o básico, me virava tranquilamente com o trivial. Mas nada tão profundo quanto a massa do macarrão. Parece até brincadeira, mas há ciência nisto. A escolha da farinha certa, o tamanho do ovo, o ponto, ah o ponto... isso pode acabar com a relação entre o cozinheiro e o alimento. E foi o que aconteceu comigo. Estava assistindo ao programa, a pessoa passou uma receita que não tinha nada de mais: juntar farinha, ovo, óleo, sal e amassar. Juntei tudo, amassei, estiquei e... não deu em nada. Horas gastas para fazer o almoço de domingo para o marido jogadas no lixo. Eu não sei até hoje o que aconteceu, se a farinha não era boa, se eu errei na medida, se a receita não foi das melhores, se errei o ponto, 0 que sei é que depois de aberta e cortada, fiz os ninhos de massa e ficou tudo grudado como uma argola enorme. Lembro que joguei na água quente prá tentar salvar alguma coisa e só piorou. Joguei tudo fora e fiz macarrão de pacote. Mas ficou aquela frustração, o que teria feito errado? O almoço perdeu um pouco do seu sabor. E eu nunca mais me arrisquei a fazer massa para macarrão. Comprei inúmeras revistas sobre o assunto, mas não me animava, pensava comigo: "vai que faço besteira de novo?". O assunto caiu no esquecimento. Aí vi várias vezes o meu muso inspirador na cozinha, Sir Jamie Oliver, fazendo macarrão como um alucinado. E era tudo tão fácil, farinha e ovo, misturar, verificar ponto, abrir a massa, cozinhar, fim. Me armei de coragem e disse, lá vou eu. Como já fiz várias receitas dele, fui na confiança. Ainda me atrevi a misturar farinhas. E, voilá, primeira etapa, ok. Cozinhei a "pasta". Nada de unidos venceremos. Segunda etapa, ok. Só faltava provar e, radiante de felicidade, perceber que fazer macarrão em casa é prazeroso de todas as formas. O sabor todo especial, muito diferente daquilo que comemos quando compramos a massa seca. A massa absorve o molho, fica muito bom mesmo. Só preciso aprimorar a técnica agora, achei que a massa poderia ter ficado mais fina e poderia cozinhar um pouquinho a mais. Mas nem isso tira o brilho da alegria de comer macarrão feito em casa, em plena sexta feira.

Tagliatelle Feito à Mão


Ingredientes:
(para 4 pessoas)
4 ovos
400g de farinha de trigo (use farinha de boa qualidade, eu usei metade de farinha de trigo e metade de farinha de trigo integral)

Preparo: Quando vi o Jamie fazendo, ele usou um processador. Colocou a medida de ovos e farinha e ligou. Foi verificando o ponto, que deve ficar como uma farofa grossa. Se precisar, colocar farinha aos poucos. Aí jogou na bancada, agregou tudo amassando e abriu com cilindro. Eu fiz a minha à mão, misturando e agregando em uma travessa. Quando estava razoavelmente misturado, joguei sobre a mesa e misturei até formar uma massa homogênea. Abri com o bom e velho rolo de macarrão, sempre polvilhando a bancada com farinha. Dividi a massa aberta em duas, enrolei como rocambole e cortei. Joguei um pouco de farinha na mesa, abri as fitinhas e misturei com a farinha para evitar que grudassem. Polvilhei mais um pouco de farinha ao final do processo. Cozinhar em água com sal ( 1 litro para cada 100 g de massa). Coloquei 3 colheres (sopa) rasa de sal. Cozinhei por 4 minutos, mas acho que ficaria melhor com 6 minutos.

O molho eu fiz assim:
2 colheres (sopa) de azeite
500g de patinho moído
1/2 cebola grande, picada
1 dente de alho, picado
1/2 pimentão vermelho, picado
1 cenoura, ralada no ralo grosso
1/2 colher (sopa) de aceto balsâmico
1 vidro de passata italiana (eu usei esta)
3/4 da medida do vidro de água.
Temperos a gosto ( sal, canela, orégano e pimenta do reino)


Preparo: Coloque o azeite numa panela de pressão, de preferência com anti-aderente. Coloque a carne e refogue até que esteja soltinha e cozida. Junte a cebola, o alho, o pimentão, a cenoura, o aceto balsâmico e mexa por 3 minutos. Adicione os temperos, a passata e a água. Mexa bem, feche a panela de pressão e cozinhe por 20 minutos, após pegar pressão. Retire do fogo, deixe perder a pressão e utilize.

3 comentários:

ameixa seca disse...

Ainda não experimentei fazer massa em casa. A tua aventura até me faz pensar duas vezes. Tenho receio que não fique bem. Se calhar sai mais barato comprar no hipermercado, mas o prazer de sermos nós a fazer é outro ;)

Nat Nutrição disse...

Essa massa ficou linda demais!! Até me empolga a tentar fazer massa caseira.. Mas como a colega acima disse,dá muito medo de dar errado! =) E como hoje em dia existem muitas massas boas no mercado, acaba sendo fácil comprar pronto!!
Mas um dia faço uma caseira !!! =)parece ficar muuuito bom!

Letícia disse...

Ameixinha, mas barato sai, sem dúvida, mas o prazer de fazer, o sabor ...remete à tempos antigos, coisa das nossas avós, bisavós. E as pessoas percebem que foi você que fez, que colocou amor naquilo. É muito gratificante.
Nat, eu tinha o mesmo receio, ainda mais porque já tinha feito antes e dado errado, mas ontem não sei o que me dei, fiz essa massa em 1 hora no máximo, foi tão rápido e tão legal. Até minha filha ajudou a cortar a massa. Pergunta se ela não gostou? Vale a pena. Beijos a vcs.

Related Posts with Thumbnails